domingo, 25 de maio de 2008

Parabéns... xD

Parabéns Juliana!!!


Disseram-me uma vez que, em cada criança que nasce, Deus está a dizer à Humanidade que a ama como a menina dos seus olhos e que nunca há-de desistir dela. Em cada criança, renova-se a Promessa, palavra tão importante na Bíblia, de que é possível um futuro melhor, que uma nova geração está a nascer, e é desta geração que depende a construção de uma nova Humanidade.

O que Deus diz à Humanidade em cada novo nascimento, diz também a cada um de nós: acredito em ti, continuo a confiar em ti e amo-te cada vez mais, assim, de novo, como se fosse a primeira vez. Eu acredito que o nosso Deus, o Deus de Jesus, é o Deus-Amor de quem fala o profeta Oseias: “Segurava-os com laços humanos, com laços de amor, fui para eles como os que levantam uma criança para o seu rosto” (Os 11, 3).

Não há uma prova para dizer quem é Deus, ou se existe, ou se é verdadeiro. Tal como não há uma prova para falar do Amor, ou da Vida – há provas, pequenas, que vão surgindo se estivermos atentos… A mim, pessoalmente, a maior prova que encontro deste Deus de Amor, além deste homem chamado Jesus de Nazaré, é a prova da Vida. Sim, esta Vida com V maiúsculo, esta Vida que recebi, esta Vida que construo dia-a-dia, esta Vida que tento não desperdiçar, esta Vida cuja maior sorte é talvez a de a poder partilhar com tantos amigos, irmãos, companheiros, esta Vida que tem um Sentido

Ninguém nos perguntou, antes de nascermos, se queríamos nascer. Ninguém nos pediu opinião, simplesmente chamaram-nos à Vida. E quando nos damos conta de que afinal vivemos, estamos aqui, já o comboio vai em andamento. Podemos perguntar aos nossos pais: porque me destes à luz, porque me chamastes à Vida? E talvez eles não saberão bem responder…

Então, para mim, cada aniversário, como cada manhã no inicio de um novo dia, como cada fase importante da nossa vida – quando entramos na escola, o primeiro namoro, a faculdade e o emprego, o casamento, o primeiro filho, etc etc – são momentos nos quais podemos dizer: Eu escolho, eu quero, eu agradeço a minha Vida. Não escolhi nascer: mas se pudesse escolher hoje, eu diria sim, quero viver, quero receber este Dom para o usar, abusar, esgotar, fecundar… Ninguém vive de verdade se vive na mediocridade, se deixa passar o tempo, se perde as oportunidades, se espera dos outros aquilo que são as suas próprias responsabilidades.

E a certeza de que podemos “renovar o contrato” em cada aniversário, em cada crescimento, em cada amadurecimento, é que, quando o fizermos, nunca estaremos sozinhos… Haverá sempre alguém a dizer-nos Obrigado por nós existirmos, por nos poder conhecer e amar. E o Primeiro de todos, podes ter a certeza Juliana, é o teu e meu Deus que te diz: amo-te, sê feliz, eu estou contigo.

Sem comentários: